Serviços e Especialidades

2ª a 6ª feiras
das 8:00 às 12:00 hrs
13:30 às 18:00 hrs

Sábados
das 9:00 às 13:00 hrs.

Diagnóstico Laboratorial

2ª a 6ª feiras
das 8:00 às 12:00 hrs
13:30 às 17:00 hrs

Sábados
das 9:00 às 11:30 hrs.

Como educar um cachorro para ser um cão feliz e obediente?

Durante o primeiro ano de vida a maioria dos cachorros irá exibir diversos problemas comportamentais detectáveis pelos donos. Esses problemas variam entre fazer as necessidades fisiológicas dentro de casa e ladrar, ou morder e até destruir a mobília de casa ou outros utensílios domésticos. A melhor estratégia para prevenir estes comportamentos, é começar o treino do cachorro no primeiro dia em que este chega à sua casa. A abordagem inicial a este tipo de problemas terá grande influência no resultado final.

Lição nº1: Inibição de morder

(nunca é demasiado cedo para começar)

A primeira lição que os cachorros recebem nesta temática é-lhes dada pela progenitora durante o aleitamento. Deste modo, a cadela rosna ou afasta o cachorro da teta se o contacto for demasiado brusco ou doloroso, como forma de ensinar a cria a ser mais cuidadosa. O novo “progenitor” deverá, desde o primeiro dia, ensinar ao cachorro que o contacto com a pele humana provoca dor, manifestando-o através de um grito ou afastando-se do contacto com o cachorro, por forma a que o animal possa perceber que tal se trata de um comportamento não permitido.

Lição nº2: Sociabilização e diminuição do risco de doenças infecciosas

Os animais, tal como as pessoas, aprendem através da sua experiência individual, associando as suas acções a consequências. Assim, o proprietário deverá esforçar-se por proporcionar o mais cedo possível, o maior número de oportunidades de aprendizagem com consequências positivas, de forma a reforçar os comportamentos e as respostas desejadas. As lições de sociabilização são, juntamente com as lições de inibição de morder, as mais importantes na educação de um cachorro, de forma a termos um animal calmo, seguro e afável.

Enquanto o nosso cachorro não tiver completado o plano vacinal recomendado pelo veterinário assistente, devemos evitar zonas de risco, como parques públicos ou outras zonas frequentadas por cães de estado sanitário desconhecido, onde estão mais expostos ao risco de contrair uma doença.

Lição nº3: A importância dos métodos de treino positivo

O treino tradicional consistia em castigar o animal quando apresentasse um comportamento indesejado, ou na correcção ou obrigação de determinado movimento – por exemplo, forçar a sentar ou a deitar enquanto se dava a ordem verbal.

Conseguem-se melhores resultados se associarmos ao treino um reforço positivo, quando o animal efectua algo que queremos que ele repita. Deve recompensar-se com uma festa, preferencialmente, ou uma guloseima sempre que o animal vem ao nome, sempre que se senta ou deita voluntariamente após uma ordem, sempre que ele urina ou defeca num local apropriado, em vez de apenas nos zangarmos quando não o faz.

Lição nº 4: Ignorar os comportamentos negativos

Por mais difícil que lhe possa parecer seguir este conselho, deve ignorar o cachorro sempre que este exiba um comportamento inaceitável. Normalmente, ser ignorado já é castigo suficiente, se o comportamento for algo que ele faça para chamar a atenção: saltar para cima do dono, ladrar ou ganir para “chamar” o dono ou pedir comida. É um pouco como ignorar uma birra de uma criança. Se o animal salta para o dono quando este chega a casa, deve esperar que se acalme, ignorando-o completamente, e só fazer uma festa quando o animal tiver as 4 patas apoiadas no chão.

Outro exemplo da aplicação desta regra, é a forma como os proprietários reagem quando o animal demonstra medo face a pessoas estranhas ou outros cães, escondendo-se atrás do dono, ladrando ou rosnando. A tentação mais comum é levantar o cão ao colo ou fazer-lhe festas e falar com ele para o acalmar. O que deve fazer é ignorá-lo! Ao dar-lhe atenção nesse momento estará a recompensar um comportamento agressivo e a “dizer-lhe” que há razões para ter medo. Sempre que o seu cão demonstrar agressividade para outras pessoas ou outros animais, repreenda-o e não lhe faça festas a dizer: não faz mal, é amigo! por mais anti-natural que lhe possa parecer. Deste modo estará a educar o seu cão a ser mais sociável e menos desconfiado.

Lição nº 5: Truques para melhor examinar o seu cão

Para facilitar sua a vida e a do seu Veterinário, tornando as idas do seu companheiro ao médico menos stressantes, deve habituá-lo a ser “examinado”. Deve estar habituado a que lhe sejam vistas as orelhas, as patas, os dentes, a cauda, a barriga, etc… Deve ainda habituá-lo, desde cedo, aos cuidados básicos de higiene e beleza, como escovagem do pêlo, limpeza de ouvidos, corte de unhas, banho e escovagem dos dentes. Sempre que o animal se deixe manipular deve ser então recompensado com festas e frases de encorajamento e, porque não, uma guloseima.

Lição nº 6: Seja coerente

Ao contrário das crianças, os cachorros não possuem a capacidade de generalizar alguns comportamentos aprendidos em casa. Assim, quando se leva um cachorro para um novo ambiente, compete ao proprietário ensinar-lhe o que é permitido fazer nesse ambiente, utilizando para o efeito, métodos de reforço positivo.

É importante realçar que TODAS as pessoas que interagem com o cão devem tratá-lo da mesma maneira.

Lição nº7: Aceitar o tempo passado sozinho

O cachorro deve ser habituado a passar algum tempo sozinho, sem ficar demasiado nervoso ou ansioso. Para tal o dono deve evitar excessivas manifestações de afecto quando sai e chega a casa. No que diz respeito à permanência e às viagens de carro podemos habituá-lo, desde cachorro, a ficar sozinho por períodos de 5 minutos no carro depois de termos feito uma curta viagem, para que o cachorro encare estes momentos com naturalidade.




Fonte: jornaldobarreiro.com.pt

Voltar
Pet Imagem Vega Pix | Imagem & Criação

Rua Senador Batista de Oliveira, 202 | Curitiba/PR
Fone: 41 3076-4300 | Fone/Fax: 41 3267-4303

Orkut Facebook